segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Insanamente...

Liberta cores em sumidos mistérios
No olhar dos medos profanos
Aveludados em maresias de calmia
Tornando pensamentos insanos
Na vontade de abraçar o se que se é
Quando se tem o que se deseja
Quando se deseja o que se não possui
Mas que se sente o que de todo nos inclui
Neste desejar insano
Onde o pensamento se tornou leviano
E o saborear se transformou
na vontade devoraradora
De ,de ti me saciar
E de teu ser me alimentar
Insanamente a ti me entrego
Levianamente em nós nos transformo
***

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

"Presentes..."

Era uma menina , muito pequenina
E pensava , pensava que ...
prenda para dar no natal ,
a quem gostava ,não tinha ...
Os seus bolsinhos vazios estavam,
na sua carteirinha de farrapos tostões não havia.
Lembrou-se então , de ao jardim da avó ir ,
para umas florzinhas apanhar ,
com elas fazer uns raminhos
E ,esses assim os ofertar...
Olhando as florzinhas começou a pensar ,
se dores elas iriam ter ...
Ao assim as cortar....pensou se elas iriam chorar...
se iriam morrer ...
Belas eram as flores , que estavam no jardim
Vivas e felizes , por ali estarem assim ...
Se ela as cortasse, iriam enfeitar a casinha,
ou, iriam ser postas ali num cantinho .
por não serem rosas de botões a florir ...
Sorriu para as lindas flores do jardim,
que companhia lhe faziam ali ...
Voltou para casinha , mas ainda prendas não tinha.
Triste por ser pobrezinha,
por tostões não ter,como os outros meninos.
Cansadinha de pensar ...
Que prenda iria ela dar ,
Se prendas ela não tinha?...
Procurou lápis de cor e papel ,
e começou a desenhar ,
imensas prendas coloridas
começou ela a pintar:
um coração ao topo
um sorriso bem ao centro
uma lágrima que ali pousou
De felicidade , se adivinha.
Pois agora ...a menina pequenina ,
presentes já tinha...
E pensou , pensou ,
que afinal não era pobrezinha,
pois tinha quem a amasse,
um papel para colorir,
E os lápis de cor a lhe sorrir...
Agora presentes podia ofertar,
Com os seus sentires, o coração de belas cores a colorir
Para todos os que ela ama
Os receberem a sorrir...
***

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

"Até já..."

Olho o nublado céu por cima de mim...
Lágrimas de chuva cristalina se acomodam em meu rosto...
Paira no ar a nostalgia da perda , a dor da despedida ...
A cumplicidade de um sentir outrora partilhado .
Voa nos tempos a minha lembrança...
Abraço ao vento esta minha tristeza de a ver partir...
Sorriu na hora da despedida...
Queria vê-La mais uma vez... dizer-Lhe o que tantas vezes o meu coração Lhe disse.
Guardo na lembrança que ,não houve uma única vez que não Lhe dissesse: Gosto tanto de Si!
Ainda bem...pois assim hoje posso dizer-Lhe mais uma vez...prometendo que a última não será!
De véu branquinho , cintilante se afasta ... sorrindo-me, acenando-me, indo fazer companhia ás mais belas Estrelas que algum dia conheci, amei e senti...e Amo... Sinto...
Hoje... é um dia cinzento... uma noite fria...muito fria...
Mas é uma noite mais iluminada...
Pois no céu há mais uma Estrela...
E a sua Luz , irá iluminar-me a mim... e a todos os que ama, e a Si a amam.
Um beijo enorme na certeza da saudade que de Si irei sentir minha Querida “Avó”
Adoro-A...nunca me cansei de o dizer... não me cansarei de o repetir...
E a Sua falta... muito irei sentir ...
...
MI*

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Sousa Tavares



Rio das Flores de Miguel Sousa Tavares

Sinopse :
Sevilha, 1915 - Vale do Paraíba, 1945: trinta anos da história do século XX correm ao longo das páginas deste romance, com cenário no Alentejo, Espanha e Brasil. Através da saga dos Ribera Flores, proprietários rurais alentejanos, somos transportados para os anos tumultuosos da primeira metade de um século marcado por ditaduras e confrontos sangrentos, onde o caminho que conduz à liberdade parece demasiado estreito e o preço a pagar demasiado alto. Entre o amor comum à terra que os viu nascer e o apelo pelo novo e desconhecido, entre os amores e desamores de uma vida e o confronto de ideias que os separam, dois irmãos seguem percursos diferentes, cada um deles buscando à sua maneira o lugar da coerência e da felicidade.

Rio das Flores resulta de um minucioso e exaustivo trabalho de pesquisa histórica, que serve de pano de fundo a um enredo de amores, paixões, apego à terra e às suas tradições e, simultaneamente, à vontade de mudar a ordem estabelecida das coisas. Três gerações sucedem-se na mesma casa de família, tentando manter imutável o que a terra uniu, no meio da turbulência causada por décadas de paixões e ódios como o mundo nunca havia visto. No final sobrevivem os que não se desviaram do seu caminho.

Fonte:http://www.webboom.pt/ficha.asp?ID=165796

domingo, 14 de outubro de 2007

"Candidatura ao Ensino Superior Público"

- COLOCAÇÕES 2007-
.ª Fase do Concurso Nacional de Acesso
Lenita ( a minha Princesa) B.I. XXXXXXXX

Colocada
XXXX-Instituto Politécnico do Porto -
Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto
SÃO MAMEDE DE INFESTA
XXXX-Contabilidade e Administração
Licenciatura - 1º ciclo

Classificação do candidato:
171,1
186,0
163,0
163,0
Parabéns Filha minha, e deculpa lá a tua mamy ser tão"ruim" de vez em quando , quando não te deixava sair á noite;não te deixava estar até de madrugada com as amigas e os amigos; frequentares discotecas quando te apetecia ; namorar a toda a hora;
desculpa lá não te não te deixar sair de casa quando tinhas 16 anos...;
aquelas chamadas de atenção que tanto detestas; o meu olhar sempre em cima de ti,das tuas acções...
"Mãe chata" dizias tu...
Minha Filha...
por ti serei a mais "ruim ", a mais "chata"das mães do mundo.
Hoje conseguis-te vencer mais uma batalha na tua vida, mais uma de tantas que já vences-te...
Sabes que independentemente dos teus 18 aninhos completados, estarei sempre por perto, nas horas boas e menos boas...
Parabéns minha Filha!!!
Com o teu esforço e dedicação, coragem e determinação , e este amor, com que alimento o teu coração,conseguirás vencer todas as batalhas da tua vida:)

Um beijo abraçado,
com muito amor e carinho
desta tua Mãe babada
que muito
te
Ama!!
Mi
***********************
PS: prepara-te agora vem a praxe:))))))))




Are you ready???





*********************

sábado, 13 de outubro de 2007

"Olhar Mirandela..."

[Foto by MI]


E é por aqui algures que ando,
Neste dia apetecido...
Respiro o ar da saudade,
Por um dia d'ele me ter despedido.
Olho o horizonte de esperança,
Busco a alegria aqui perdida...
Raizes ficaram ,por aqui plantadas,
Num terno abraço da partida.
Hoje sózinha voltei.
Para a alegria buscar...
Levá-la comigo para onde for
E jamais a voltar a largar
***

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

"Amigo..."


Hoje apetece-me realizar o teu desejo...
Sorrir ao teu coração, vesti-lo com um calção, azul da cor do céu,
uma t-shirt iluminada com o branco da Paz
Olha...ele gostou,sorriu , gargalhou:))
Ficou feliz com a pernita á mostra...
o vento sopra mas ele nem se importou
Pois o azul do céu a ele o encantou
A mão que a ti estendi ,a tua apertou ... estava quentinha e a ele acarinhou
Com o seu calor , assim o aconchegou, nem sentindo ele o frio, que se aproximou.
Nesta vida , tudo se pode, tudo se faz, não importa a idade ,se é rapariga ou rapaz...
Importa sim...o que vai na alma , no coração
Tenhamos a idade que tivermos, lembremos que nem tudo o que fizemos foi opção,mas contudo é sempre uma idade bonita , a que tem a nossa alma
Muitas vezes nos esquecemos que nada é em vão
E um sorrir sincero...sempre alegrou um coração

Um beijo terno no olhar teu
:o)**

09.10.2007

terça-feira, 9 de outubro de 2007

E porque me apetece ...;o)


Desnotícias:

Convenção mundial de gatinhos discute problemas como o cheiramento e as práticas bonsai
Origem: Desciclopédia, a idiotice livre.
Este artigo é parte do Desnotícias, a sua fonte de ignorância 24 horas por dia.

Gatinho participando do evento: durante os intervalos ele aproveita para acessar o portal Desnotícias e ficar sempre bem informado
NEW YORK, Ohio Keopartha, USA - Bichanos que participam do evento foram apresentados à imprensa em coletiva.
Convenção acontece neste final de semana no Madison Square Garden.
Os bichanos dos Estados Unidos estão ansiosos para um grande evento que acontece neste final de semana em uma das casas mais elegantes de Nova York. No próximo sábado, dia 13, será aberta a 5ª Convenção Anual de Gatos Exóticos.
Alguns astros do evento, que acontece no Madison Square Garden, foram apresentados em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (10). Empolgados, os bichanos mostraram suas habilidades em diversas áreas, como informática e pistas de obstáculos.
Durante o evento, os bichanos vão discutir várias questões e problemas, como as práticas de entretenimento, produção, experiências genéticas, concorrência nos mercados e alimentação.

sexta-feira, 5 de outubro de 2007

domingo, 30 de setembro de 2007

"Esperança "


A esperança persiste, mesmo entre os escombros da guerra,a esperança permite ao homem reconstruir a paz.
A esperança persiste, mesmo diante da traição,a esperança permite ao que foi traído, o recomeço com serenidade.
A esperança persiste, mesmo diante da doença mais grave,a esperança permite ao homem continuar à busca da cura.
A esperança persiste, mesmo diante da maior injustiça,a esperança permite que se repare o erro, não importa o tempo decorrido.
A esperança persiste, mesmo diante da dor mais profunda,a esperança resiste e nos empurra para a conquista.
A esperança persiste, mesmo diante do abalo da fé,a esperança permite que o homem busque o seu Criador.
A esperança persiste, mesmo diante da depressão profunda,a esperança resiste à falta de sonhos e nos recoloca no caminho.
A esperança persiste, mesmo quando não há mais esperança,afinal de contas, a esperança é a centelha da vida, é a própria chama,o fogo que alimenta a nossa caminhada e te convoca agora, afinal de contas:tudo está para ser feito e existem novas oportunidades para quem persiste,um novo amor está para chegar, um novo trabalho se aproxima,uma nova família para depender de você, novos amigos que te vão conhecer,pessoas e mais pessoas que vão descobrir, assim como eu,que você é a própria esperança , a certeza que o mundo vai melhorar,você é a chama, o fogo, a esperança é tocha que nunca se apaga.

Sê como a esperança, persiste mais um pouco.

***
(Postado em 25/12/2004 in"O Meu Cantinho")

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Tempestade de Sentires

commentbaby.com

Vejo à minha frente
Um caminho diferente
Um caminho que se diz contente...
Mas eu...
Perco-me no meio de palavras divergentes...
O sonho, só, não basta
Preciso de algo que me afaste
Da ilusão, da incerteza, da incoerência.
A realidade, apenas, não é suficiente
Quero acreditar e confiar nos meus instintos...
Nas minhas vontades...
O nevoeiro, calmamente regressa à minha vida.
Uma nova estação se apresenta.
O vento bate à minha porta
Mas a passividade impede-me de a abrir
Impedindo também que me transforme...
Impedindo que me permita a modificar...
Impedindo um turbilhão de emoções...
Impedindo uma tempestade capaz de lavar as feridas mais profundas...
Quero-te como um furacão.
Quero-te como uma catástrofe,
Como algo capaz de me deitar abaixo...
Mas que em seguida me dê a mão para me erguer outra vez.
E assim de cara e alma lavada talvez mude o meu caminho...
E assim talvez siga mais uma vez por estradas erradas
na esperança de um dia voltar a encontrar-te...
IM


sábado, 22 de setembro de 2007

*Elegante Sinceridade*

Tamerlão, poderoso rei assírio do século XIII, era um soberano muito cheio de si e cônscio das deferências de que se julgava credor por parte de todos os súbditos. Ele tinha uma particularidade física notável: - Um grande e monstruoso nariz, o que muito o aborrecia.
Por isso, jamais se tinha deixado retratar. Quando, porém, já estava velho, seu filho e sucessor, preocupado com a possível ausência da figura do pai na galeria real, tanto insistiu que conseguiu dele a anuência em se deixar retratar.
O monarca estabeleceu uma condição: - só aceitaria o retrato, como sua estampa oficial, se encontrasse um artista que o pintasse a contento. E os artistas que tripudiassem sua imagem, seriam executados, conforme a tradição do reino: - na forca.
Aceita a condição, editais foram espalhados por todo o Reino, convocando os artistas para a importante e perigosa tarefa. Não obstante o risco, três se apresentaram, para tentar o que seria a suprema obra de sua vida e ganhar assim fama, reconhecimento e muitas moedas de ouro. Justamente os três melhores mestres da arte pictórica do Reino se apresentaram para o comedido.
O primeiro artista retratou o monarca tal e qual, com o narigão enorme e tudo. O rei, vendo o quadro acabado, embora admirando o gênio artístico do pintor, enfureceu-se com ao ver sua figura horrenda e mandou enforcar o infeliz artista.
Veio o segundo pintor e, temeroso, pintou o rei fielmente, com exceção do aberrante apêndice nasal, em cujo lugar colocou irrepreensível narizinho. O soberano, sentindo-se ridicularizado, assinou igualmente a pena capital do segundo, sem comiseração.
Chegou, a vez do terceiro pintor, o qual, habilidoso, conhecendo a paixão do rei pela caça, retratou-o portando um arco e flecha, a atirar numa raposa. E o antebraço segurando a arma, dissimulava o nariz. Vendo o resultado do trabalho, o monarca sorriu satisfeito e recompensou-o generosamente.
.
. ( A quem souber a sua autoria agradeço que me a indique...a si o que seu é de direito...Grata)

As três atitudes mais comuns em relação à verdade:

A primeira
é a franqueza rude, contundente, que não hesita em expõr toda a realidade dos factos, doa a quem doer. Os partidários dessa atitude podem revelar o mérito da coragem e do desinteresse, mas tiram nota zero em relações humanas.
A segunda é a hipócrisia interesseira. Os deste grupo podem revelar inteligência e engenhosidade para distorcer os factos, a fim de agradar aqueles a quem desejam conquistar.
A terceira, é a dos partidários da verdade construtiva, evidenciando o que é útil, edificante, e elegante, omitindo súbtilmente os aspectos menos agradáveis da vida do próximo.
***

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

terça-feira, 18 de setembro de 2007

*Infinito...*


Noite fresca e serena...
Numa qualquer praia encantada...
Flores beijadas no mar deitei...
Nesta nossa madrugada.
Nas ondas ,navega meu pensamento...
Ate ti ,sob o olhar terno da Lua.
Soprando um beijo nosso, sorriem-nos as Estrelas
Nesta minha noite ...que é Tua.
***

domingo, 16 de setembro de 2007

ZWANI.com - The place for myspace comments, glitters, graphics, backgrounds and codes

WITHIN TEMPTATION

The Swang Song

Winter has come for me, can't carry on.
The chains to my life are strong but soon they'll be gone.
I'll spread my wings one more time.

Is it a dream?
All the ones I have loved calling out my name.
The sun warms my face.
All the days of my life, I see them passing me by.

In my heart I know I can let go.
In the end I will find some peace inside.
New wings are growing tonight.

Is it a dream?
All the ones I have loved calling out my name.
The sun warms my face.
All the days of my life, I see them passing me by.

As I am soaring I'm one with the wind.
I am longing to see you again, it's been so long.
We will be together again.

Is it a dream?
All the ones I have loved calling out my name.
The sun warms my face.
All the days of my life, I see them passing me by.

***

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Hein???



My Birthdate: July 14


You work well with others. That is, you're good at getting them to do work for you.
It's true that you get by on your charm. But so what? You make people happy!
You're dynamic, clever, and funny. And people like to have you around.
But you're so restless, they better not expect you to stay around for long.
Your strength: Your superstar charisma
Your weakness: Commitment means nothing to you
Your power color: Fuchsia
Your power symbol: Diamond
Your power month: May

sexta-feira, 7 de setembro de 2007

"Nunca deixe de voar..."

Eu tento...

Com todas as minhas forças, voô levantar.Sinto-me fraca, de tantos tombos eu dar, sinto-me ferida , magoada , sepultada por estas andanças da vida, de tantas vezes tentar... e em vão ,o meu võo resultar.Contudo não desisto ,pois minha vida de mim é dependente.Dependo eu dela ,para o meu "Eu" ,eu voltar a ser novamente.Tento, e volto a tentar...Lançar-me para um vôo , onde não sei ...me irá levar...

Possa eu , e...jamais me esquecerei de ,me lembrar ...de voar.

***

quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Caneta de Ouro-Poesias in Blog 2007

O meu cantinho foi indicado pela minha Amiga Gasolina do blog http://flordapalavracege.blogspot.com/
para participar na 1ª Edição do PRÉMIO CANETA DE OURO - POESIAS 'IN BLOG' 2007.
Indicado foi:
Confidencias...
O mundo é uma roda , que gira , rebola
Possui sentimentos sem fim,
entram e saiem de moda
e tudo é fácil assim
Sou como um voo sem asa
De uma viagem sem regresso
talvez um dia chegue a casa
é que pouco mais eu peço
A vida é uma intriga
de mistérios de veludo
Talvez um dia consiga
entender isto tudo
Até já ...

Em 9.6.07

Iniciativa de André L. Soares e da Rita Costa, tentam assim promover na blogoesfera o que de melhor em poesia se faz na Língua Portuguesa.
Para conhecer as regras desta inciativa basta ir AQUI.
Passarei a citar os meus indicados:
.
"E mais um dia passa" de 20 de junho de 2007
.
"A RESPOSTA " de 17 de Agoto de 2007
.
.
.
Desde já os meus Parabéns s quem tomou esta tão bela iniciativa .
.
Á minha Querida Amiga os meus sinceros PARABÉNS!!!
Um muito Obrigado por de mim se lembrar ao me indicar
Um beijo Enorme a sorrir
A todos os meus indicados...
Boa sorte e ...
Beijinho
***

terça-feira, 4 de setembro de 2007

Estação de Perdas


Há horas na nossa vida que somos tomados por
uma enorme sensação de inutilidade, de vazio...
Questionamos o porquê de nossa existência e
nada parece fazer sentido.
Concentramos a nossa atenção no lado mais cruel
da vida, aquele que é implacável e a todos afecta
indistintamente: As perdas do ser humano.

Ao nascer, perdemos o aconchego ,
a segurança e a proteção do útero.
Estamos, a partir de então, por nossa conta.
Sózinhos.
Começamos a vida em perda e nela continuamos.
Paradoxalmente, no momento em que perdemos algo,
outras possibilidades nos surgem.
Ao perdermos o aconchego do útero,
ganhamos os braços do mundo.
Ele nos acolhe: nos encanta e nos assusta,
nos eleva e nos destrói...
E continuamos a perder...e seguimos a ganhar.
Perdemos primeiro a inocência da infância.
A confiança absoluta na mão que segura a nossa mão,
a coragem de andar na bicicleta sem rodinhas
por que alguém ao nosso lado nos assegura
que não nos deixará cair...
E ao perdê-la, adquirimos a capacidade de questionar.
Por quê? Perguntamos a todos e de tudo...
Abrimos portas para um novo mundo e fechamos janelas,
irremediavelmente deixadas para trás...
Estamos crescendo.
Nascer,
crescer,
adolescer,
amadurecer,
envelhecer,
morrer,
renascer (?)...
Vamos perdendo aos poucos alguns
direitos e conquistando outros.
Perdemos o direito de poder chorar bem
alto, aos gritos mesmo, quando algo
nos é tomado contra a vontade.
Perdemos o direito de dizer absolutamente
tudo que nos passa pela cabeça sem
medo de causar melindres.
Assim, se a nossa tia às vezes nos parece gorda
tememos dizer-lhe isso.
Receamos dar risadas escandalosamente da
bermuda ridícula do vizinho ou puxar as
pelanquinhas do braço da avó com a
maior naturalidade do mundo e ainda
falar bem alto sobre o assunto.
Estamos crescidos e nos ensinam que não
devemos ser tão sinceros.
E aprendemos..
E vamos adolescendo...
ganhamos peso,
ganhamos, seios,
ganhamos pelos,
ganhamos altura....
ganhamos o mundo.
Neste ponto, vivemos em grande conflito.
O mundo todo nos parece inadequado
aos nossos sonhos...
ah! os sonhos!!!
Ganhamos muitos sonhos.
Sonhamos a dormir,
sonhamos acordados,
sonhamos o tempo todo.

Aí de repente, caímos na realidade!
Estamos a amadurecer...todos nos admiram.
Tornamo-nos equilibrados, contidos, ponderados.
Perdemos a espontaneidade.
Passamos a utilizar o raciocínio, a razão acima de tudo.
Mas não é justamente essa a condição que nos coloca acima (?) dos outros animais?
A racionalidade, a capacidade de organizar as nossas ações de modo lógico e racionalmente planejado? (???)

E continuamos a amadurecer....
ganhamos um carro novo,
um companheiro, ganhamos um diploma.
E desgraçadamente perdemos o direito de gargalhar,
de andar descalços, tomar banho de chuva,
lamber os dedos e soltar pum sem querer...
Mas perdemos peso!!!
Já não pulamos mais no pescoço de quem amamos
e tascamos - lhe aquele beijo estalado...
mas apertamos as mãos de todos,
ganhamos novos amigos,
ganhamos um bom ordenado,
ganhamos reconhecimento,
honrarias,
títulos honorários e
a chave da cidade...
E assim, vamos ganhando tempo....
enquanto envelhecemos.

De repente percebemos que ganhamos algumas rugas,
algumas dores nas costas (ou nas pernas),
ganhamos celulite, estrias, ganhamos peso...
e perdemos cabelos.
Nos damos conta que perdemos
também o brilho no olhar,
esquecemos os nossos sonhos,
deixamos de sorrir...
perdemos a esperança.
Estamos a envelhecer.

Não podemos deixar p'ra fazer algo
quando estivermos a morrer...
afinal, quem nos garante que haverá mesmo
um renascer, excepto aquele que se faz em vida,
pelo perdão a si próprio, pelo compreender que
as perdas fazem parte, mas que apesar delas,
o sol continua a bilhar e felizmente
chove de vez em quando,
que a primavera sempre chega após o inverno,
que necessita do outono que o antecede...

Que a gente cresça e não envelheça simplesmente...
Que tenhamos dores nas costas e alguém que as massageie...
Que tenhamos rugas e boas lembranças...
Que tenhamos juízo mas mantenhamos o bom humor
e um pouco de ousadia...
Que sejamos racionais, mas lutemos por nossos sonhos...
E, principalmente, que não digamos apenas eu te amo,
mas hajamos de modo que aqueles a quem amamos,
se sintam amados mais do que se saibam amados.

Afinal, o que é o tempo?

(Algo partilhado um dia de, e com uma Amiga ,agora em eterno descanso, )

***Decansa em Paz...***
............

sexta-feira, 31 de agosto de 2007

D'o nada...por tudo...


E o nada é tudo
E o tudo é nada
O querer é poder
E eu quero do nada o tudo...
Do tudo que o nada provém
Abraço eu o nada
Para a tudo aconchegar
Do nada vivo pensando
Sem nada ter programado
Com tudo eu sonho um dia
No meu simples existir
Do nada em tudo persistir
A tudo eu me vou agarrar
Para poder Viver
E do nada por nada sorrio
Até ao tudo existir em mim ,
Por mim no meu ser
E ai sim , no nada tudo vou querer
Por tudo e por nada
Do nada, por tudo...
(E.R)

Eu...Nós...

Da Alma vejo o sentir
Do peito sinto o abraçar
Das mãos apalpo o afagar
No momento agarro o tempo
Na minha audição sorvo o teu grito
Aos meus olhos te beijo
Na minha boca te guardo
No meu coração descompassado
pulsa o teu respirar
Em mim ...vive o teu "Eu"
Por ti...
Anseio eu...
**

quarta-feira, 29 de agosto de 2007

Amar…


O amor...
Algo muito complicado...
Amamos quem não queremos
e não amamos quem devemos...
Se o procuras não o encontras,
se o evitas das de caras com ele...
Umas vezes é longo mas muito calminho,
outras é curto mas muito intenso...
Chega sem avisar e
vem sempre para ficar...
Não quer saber se é bem-vindo nem
dos estragos que fez ou que vai fazer...
E por mais que estejas preparada,
consegue sempre surpreender-te...
Não faz girar o mundo mas
faz valer a pena que o mundo gire...
O amor é algo que...
Simplesmente acontece...

Susana Diogo

terça-feira, 28 de agosto de 2007

Gosto-te...


Pela madrugada , vagueio
Tentando te encontrar
Sorrindo ás estrelas
Por tanto te poder gostar
Olhando a lua cheia
Que teima em me acompanhar
Um sorriso noite adentro
Em um sentir enternecido
Por um beijo suculento
N'um abraçar muito sentido...
Como te Gosto meu Querido
**

sábado, 25 de agosto de 2007

Um dia ...



A saudade apertou
A vontade foi mais forte
Meu peito por ti clamou
A ãnsia cedeu á sorte
De a tua voz querer ouvir
O teu sorrir agraciar
O teu beijo em mim sentir
Ao em mim eu o beijar
Preciso de te sentir
Neste mundo que é nosso
Num mundo de bem querer
Quero-te bem , muito bem
Bem longe do breu
A vida é linda, sorrio-te
Abraço eu o céu, te abraço
Quero ser livre, sejamos
Anda ,dá-me a tua mão...

Vamos viver ...

Sorrindo...Livremente!!!

:o)

sexta-feira, 24 de agosto de 2007

Dia após dia...


A ti vou chegando
Devagar, muito devagarinho
De mãos dadas vamos caminhando
Cúmplices nos nossos segredos
No meio das tristezas incontidas
Aprendendo com elas,sem medidas
Abraçando as alegrias da vida
Beijando-as por um infinito
A par com as consequências acumuladas
O barreira vai sendo atravessada
Caminhando lado a lado
Invisivel eu sou
Acariciando-te na madrugada
Fazendo levitar o teu ser
Manhãs lindas sonho eu
Com o nascer do sol
Ansiando um beijo teu
Noites serenas desejo eu
Como o beijo que em ti eu sopro.
Pretendo eu assim
Fazer de teu sono um paraiso
Onde eu me passeio suavemente
Abraçar o teu beijo
Que eu desejo ardentemente
Tocar teu rosto, mimá-lo
Num afago de ternura
Ao os olhos abrires, de um sono tranquilo e profundo...
Beijar-te , amar-te...incansávelmente...
Simplesmente...

**

quinta-feira, 23 de agosto de 2007

Pudesse eu...



Teletransportar-me através do tempo...
Através do espaço...por um dia , por uns dias
Chegar a ti,de alguma forma possivel ou imaginária...
Estava contigo, aí ...agora...neste momento
Sinto-te tão triste, tão só, tão carente...
A precisar de um carinho... um mimo ... um sorriso...
A dor que teima e insiste, em te não abandonar
No teu lindo coração... persiste
Em fazer dele ...habitação
Pudesse eu olhar os teus olhos, frente a frente aos meus...
Com as minhas mãos ...suavemente o teu rosto acariciar
Dos meus braços um xaile fazer...
Com ele , num forte abraço te enrolar...aquecer
Te embalar ,junto ao meu peito te aconchegar
Afagar-te em ternuras,num sussurar muito sereno
Te ajudar a aliviar, a acalmar...e contigo...
Adormecer
***

quinta-feira, 16 de agosto de 2007

Sonho...


Sonhei um sonho lindo
De acordar não tinha vontade
Apetecia-me dormir,
Por toda uma eternidade
Abraçada á almofada e
na manta enrolada
os meus olhos fui abrindo .
Uma aragem fresca , mimada
envolta em uma ternura enorme
Todo o meu ser foi sentindo .
Em carinho me senti envolvida
Em abraços aconchegada
Contigo sonhava eu
Que por ti ,era amada
...

quarta-feira, 15 de agosto de 2007

A Ti ... Parabéns


Meu Querido
Hoje é dia do teu Aniversário!
Para começar deixa-me dizer-te , que é uma grande Honra para mim,ter um dia conhecido Alguém como tu.
E o meu coração quer hoje encontrar o teu,pois todos os dias para ele sorri,mas hoje quer felicitar-te a ti, neste teu dia , por seres quem és , como és e o que és!!
Uma Pessoa Maravilhosa, de belos e puros sentires,Amigo do Amigo,com uma enorme capacidade de Amar o próximo...
Hoje mais uma linda janela se abre diante de ti,com vista para lindos sonhos ,que um dia verás realizados.
Continua o teu caminho firme ,pela estrada da vida, pois temos nós uma enorme benção , pela vida ofertada:a experiência, que os anos vividos ,nos vão concedendo.
E tu , caminhando como até aqui, um dia chegarás até ao mais belo Jardim...
O Jardim que representará a realização dos teus maiores sonhos.
Sorrindo te beijo...te abraço
Carinhosa e Ternamente desejo que hoje seja o primeiro de muitos dias Maravilhosos,cheio de coisas boas,pois ...Mereces!!!
Meu Querido

Greetings MySpace Comments

Os meus PARABÉNS
Com um beijo ENORME!!!
Sentidamente Mi

:o)

quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Blog Cinco Estrelas



"1. Podem participar na votação todos os bloggers que mantenham blogs ativos há mais de um mês [os outros esperem por outra ideia brilhante que alguém irá ter].
2. Cada blogger deverá referenciar cinco nomes de blogs. A cada menção corresponde um 1 voto.
3. Cada blogger só poderá votar uma vez, e deverá publicar as suas menções no seu blog [da forma que melhor desejar], enviando-as posteriormente para o seguinte e-mail: elzinhalinda@gmail.com. No e-mail, além da sua escolha, deverão indicar o link para o post onde postaram as nomeações. A data limite para a publicação e envio das votações é dia: 27/08/2007.
4. De forma a reduzir alguns constrangimentos [e desplantes], e evitar algumas cortesias desnecessárias, também são considerados votos nulos:- Os votos dos blogger(s) em si próprio(s) ou no(s) blogue(s) em que participa(m);- Os votos no blog Nada pra mim.
5. Cada blog que for indicado ou indicar, deve conter de onde veio a origem do concurso, ou seja deverão manter um link para este blog afim de que outras pessoas possam conhecer a idealizadora da idéia.No dia 31.8.2007 serão anunciados os vencedores."
(Origem em Nada pra mim )
*
E os meus indicados são:
Até já :o))

quinta-feira, 2 de agosto de 2007

quarta-feira, 1 de agosto de 2007

Sabias que...


Na minha Sombra , no meu Cantinho...
Por Momentos...
Só tu não viste
Só tu não sentis-te
Só tu ,que afinal até me conheces
Mas não como eu a ti
Que eu apenas um Momento sou
Alguém que Ama por aquilo que sente
Não pelos bens materiais, presentes ou ausentes
Dediquei-te momentos meus
Pedaços de mim
Da minha vida,
partilhamos juntos Momentos únicos
Que tu, por tua autoria
Teimas-te em destruir
No dia em que as costas me viras-te
No dia da minha partida...
A ausência em palavras, sentires ,foi notória
Motivos?... Não os sei
Desculpas ??...Sim... foram algumas
Fingi que n'elas acreditei
Uma vez mais a mão te dei
Mais uma vez a tua teimosia foi intransigente
E a mão magoas-te, dilaceras-te
Sem dó nem piedade
A outra ficou, desta vez transformando-se
Num simples e belo Momento
Momento esse que a ninguém engana
Que a quem admira e sente
A sua identidade proclama
Em Dignidade falas...
Jamais a perdi
O meu brilho esse , continua sempre aqui
É um brilho meu ...Um Bem adquirido
Com a minha maneira de ser , estar ,
e acima de tudo RESPEITAR
O sol brilha , ou não, mas alegra os meus dias
Cheiros pestilentos , esses ,o vento encarrega-se
de os levar para bem longe
Ou simplesmente com ele ás voltas andar
E um mar de chuvas torrenciais virá
Inundarão tudo... e tudo ou quase com elas levará
Á sombra ou na sombra
Jamais ,em Momento algum ,
Proferiu palavras em Segredos
Ou em Segredos magoou algo ou alguém
Antes pelo contrário
Mima, acarinha , sorri!
Se chora, apenas a si lhe diz respeito
Apenas e só em Um Momento se magoou a si próprio
Ao acreditar que existiam Segredos únicos
Belos de Espirito , simples e sinceros
Que um dia , um belo dia
Amei, senti, a quem me dediquei
Por quem fiz tudo,mas simplesmente...
Muito, muito...magoada...
Completamente desiludida....
eu fiquei.
Jamais em tempo real ,usei eu,
o meu cartão de crédito em ti
Não tenho por vicio tal
Como diz o velho Ditado:
Amor com Amor se paga...mas...
Eu recebi um troco chorudo...
De tal forma que, há meses que o tento contabilizar
Era para ser segredo...mas já que o teu me contas-te
Segredo-te eu também o meu
Pois , entre outras palavras não ditas...
mereceste-o.
Mas afinal...era só e apenas ...
mais um segredo...
Entre Segredos...

Desejo em dobro para ti aquilo que a mim me desejas...

e sim , vou pela sombra... está um sol lindo hoje... mas quente ...

concerteza não derreterei

Até mais ler...ou não

...

terça-feira, 31 de julho de 2007

Ennio Morricone...

Nascido em 1928 em Roma, Ennio Morricone é, sem dúvida, um dos mais talentosos e prolíficos compositores da história do cinema. Apesar de ter composto a banda sonora de cerca de 500 filmes, Morricone é conhecido sobretudo pelas bandas sonoras de filmes realizados por Sergio Leone (For a Fistfull of Dollars (1964), For a Few Dollars More (1965), The Good, the Bad and the Ugly (1966), Once Upon a Time in the West (1968), Duck, You Sucker (1971) e Once Upon a Time in America (1984)). De entre essas bandas sonoras destacam-se, na minha opinião,duas:
The Good, the Bad and the Ugly (1966) e Once Upon a Time in the West (1968)

Nesses dois filmes, Morricone demonstra o seu imenso talento, compondo músicas inesquecíveis e que complementam na perfeição as cenas em que foram inseridas. Quando se fala de bandas sonoras de filmes, o nome de Morricone é um marco incontornável .

*By Hight Fidelity

:o))

Ennio Morricone Honorific Oscar 2007

sábado, 28 de julho de 2007

Meu Doce...Mar

O Mar fui visitar
Ao ouvi-lo ,com ele falei
Sorrio para os seus habitantes
Que me sopram um beijo ,de encantar
As belas rochas ,convidaram-me a sentar
Não me fiz de rogada e... sob elas me sentei
A serenidade procurei
Observando o horizonte
Os meus sentimentos acalmei
A Paz desejei
Ali mesmo a encontrei...
a ela eu me entreguei.
Pela areia descalça andei
Com meus dedos,
Seus grãozinhos acariciei
O sol pôs-se... e eu a seu lado... me encantei
Fez-me bem ... chorei ...sorri... falei...observei...meditei...
E a sorrir para casa voltei

No caminho o Céu olhei
A lua vi,intensamente bela
A fitei enternecida
Está quase cheia...singela...
Um sorriso esboço,um sorriso Amigo
A um Lobo, que andava ferido
Um beijo soprei... a sua ferida curei...
Agora de mão dada ao lobo
Sorrio...a ele... á Lua
Sou assim...
Gosto de mim...
Jamais mudarei
...
:o)

quarta-feira, 25 de julho de 2007

Presenteando...

O Fim de semana passado , foi replecto de Emoções.
Estava eu a passear quando deparei com uma "Festa de livros"
N'ela entrei e alguns livros comprei.
Alguns dos quais passo a citar:
-Alexandre Herculano-Sonetos
-A Embriagez da Metamorfose-Stefan Zweig
-E Depois do Adeus-João paulo Meneses
-Os Elefantes não esquecem -Abel Coelho
Mas... principal mesmo...foi o ter visto algo que me chamou á atenção
O Senhor meu pai é um "Fanático " do já falecido Alfredo Marceneiro.
Logo ao entrar ...os meus olhos o fitaram...não ao Fadista...mas a um livro de recordações deste.Não questionei preço...apenas me limitei a pegar-lhe.
Para meu espanto...um cd trazia com ele...
Mas que belo presente !!!
Sorri ali ,aquele momento.
Uma vista de olhos ás suas páginas...ao seu conteúdo...Magnífico!!
A Vitor Duarte , Seu neto os meus Parabéns !!
Conseguiu ilustrar a vida e obra deste Fadista maravilhosamente bem em

"Recordar Alfredo Marceneiro"


O meu Pai...esse... hum....
Podem imaginar uma criança a receber um presente muito desejado
Assim parecia meu Pai...
Com os olhos a brilhar por tão delicioso presente.
E eu ... a sorrir e muito ... por o ver assim.
Vou deixar-vos com algo do Alfredo
Nunca fui muito de o ouvir, mas a letra de seus fados é lindissima
Esta então...

Conceito

Quando eles não valem nada
Não se ganha em discutir
Não é bom servir de escada
Para qualquer asno subir

Há gente que sá diz mal
Para se impor, para ser notada
Quem discute menos vale
Quando eles não valem nada

E quem pouco valor tem
Só se vinga em deprimir
O desprezo chega bem
Não se ganha em discutir

Quem maldiz por ser ruím
Nunca vence a caminhada
A nulidades assim
Não é bom servir de escada

Quem vence de fronte erguida
Não se dispôe a servir
Como ponto de partida
Para qualquer asno subir



Ficam mais alguma letras:))

A Casa Da Mariquinha Amor de Mãe Amor É Água Que Corre Bairros de Lisboa Bêbado Pintor Cabaré Conceito Depois do Leilão Despedida Fado Bailado Fado Cravo Fado da Balada Já Sabem da Mariquinhas Janela da Vida Laranjeira Florida Lembro-me de Ti Menina do Mirante Mocita Dos Caracois O Leilão da Mariquinhas O Louco O Marceneiro O Pagem O Pierrot O Remorso O Testamento da Mariquinhas Tricana Viela

Já agora para quem quiser e gostar... pode ouvir... é só clicar:o)

http://fonoteca.cm-lisboa.pt/cgi-bin/info3.pl?6625&CD&0

A Si meu Pai

Um beijo com muito Amor

:o)

terça-feira, 24 de julho de 2007

Mimos...

Bom ...
Como Miminhos nunca são demais ... eu aceito de bom grado todo o Miminho recebido
Tento contudo , partilha-lo também :o)

E desta vez foi a Som do Silencio
que a mim me "ofereceu" um molho de grelos...
Este "Mimo" é apenas atribuido a mulheres...

Passo a citar:
"Blogue com grelos" premeia mulheres que, na sua escrita, para além de mostrarem uma preocupação pelo mundo à sua volta, ainda conseguem dar um pouco de si, dos seus sentires e com isso tornar mais leve a vida dos outros.
Mulheres, mães, profissionais que espalham a palavra de uma forma emotiva e cativante.
Que nos falam da guerra mas também do amor.
A escrita no feminino,
em toda a net lusófona
tem que ser distinguida."

Som Do Silêncio
minha Querida muito Obrigada...
Mesmo
Um sorriso , um abraço
Um Beijo sentido
:o))
E do Coração do Dias veio o Carinho
Sim...presenteou-me com algo para mim muito Especial...
Com este selinho eu sorri muito
O Selinho da Amizade
Dias
Vou...abraçar-te forte
E dizer-te...
Sou tua Amiga
Sentindo a Emoção
Te beijo com Ternura
Bem Hajas por existires
:o))
Hum...
E agora...
Algo mais ... nutritivo
A minha Amiga de Flor Da Palavra sabe que eu adoro fruta
Logo ... ofereceu-me uma banana
Ou Seja ...
O Prémio da banana
Certo é que eu adoro banana
Obrigada Amiga minha
Por esta banana tão fofinha
Parca em palavras estou
Para mais alguma coisa acrescentar
Apenas o meu muito obrigado
Do Coração
:o)))
E a quem me lê...
estes miminhos vou ofertar
Desejo uma noite serena
E com os meus Miminhos
lá vou eu a cantarolar
:o))
Até já ... Sorrindo ***

sexta-feira, 20 de julho de 2007

Estórias que não se esquecem jamais...




Era eu um bebe de 2 anos, pouco mais ou menos, e estava com a minha Mãe na Quinta de meu tio.
O meu Pai não o conhecia , a não ser por foto, pois eu tinha poucos meses quando ele partiu , para desconsolo da minha Mãe... para a Guiné.
Segundo a minha Mãe , eu era ( ainda sou) muito traquina;
adorava puxar o rabo aos cavalos;mamar na teta das vacas;correr atrás das ovelhas;ir ao queijo que a minha falecida Avò fazia e , descaradamente ,lá colocar as mãozitas, para depois muito contente lhe perguntar , em linguagem de uma criança de 2 anos , toda “desenvolvida”-dizia a minha Mãe-se as minhas mãos haviam ficado “munitas” ali no queijo.
A Avó “Pardala”( assim chamavam á Avozinha ), ficava furibunda.
Corria atrás de mim, eu seguia á frente dela e,acabando por começar ás gargalhadas ,com o meu “n’am’apanhas...nhanhanhanhanhana”.
Eu não me lembro...mas parece que, a gargalhada era total , quando a Avó Pardala virava costas e eu, ia lá outra vez colocar as mãos, abanando a cabeça negativamente,e dizer em voz alta :
.Aina ná tá bem óh bó, bou faxer miór.
( desculpem-me mas era mais ou menos assim que eu falava)
e lá continuava eu com as minhas travessuras diárias sem dar descanso a ninguém...
Nesses dois anos fui conhecendo o meu pai, por fotos, por cartas que a minha Mãe me lia.Por lembranças que o meu pai mandava( ainda tenho a Rosy...
Uma boneca do meu tamanho na altura) ,e um Marinheiro todo em plástico, russo como meu Pai, e com uma bonita fatiota á marinheiro, o chapéuzito, esse... atirei com ele uma vez ao rio...pois dizia eu que ele não "pexixaba daquilo pa'nada".
Era dia de carteiro...este dizia trazer uma encomenda para uma Princesinha
(onde eu morava as pessoas conheciam-se todas, logo o carteiro conhecia toda a gente)
A minha Mãe disse que eu lhe havia perguntado( a ela mesmo) se havia “dixo”.
Ao que respondeu afirmativamente .
Então , eu fiquei á espera que o carteiro disse-se quem era a tal, a dita , aquela coisa...
Todos ali no átrio( naquela altura o carteiro vinha apenas uma vez por semana , a não ser q houvesse alguma noticia urgente)e diz o meu nome...
Dizia a minha Mãe que eu virei costas e fui-me embora.
Mão na anca, toda “gaiteira”, lá fui eu a” dar ao rabito , muito emproada”( palavras de minha Mãe).
Ao que parece , todos os presentes estranharam a minha reacção, e quem atrás de mim foi, foi mesmo o carteiro.
Este ainda vivo,com falta de alguma saúde no momento, já com uns anos largos ,de seus cabelos , ou os poucos que lhe restam , todos branquinhos , franzinho , mas continuando com a mesma ternura que sempre o caracterizou,sorridente , não em tempo algum me esqueceu... ainda hoje me chama a Menina dos cachinhos dourados.
Desta feita lá foi o carteiro... tentar que eu não ficasse triste...parece que eu pensei que eles ( todos) estavam a gozar comigo , pois eu considerava-me muito “intelixente” e sabia que eu “num era pinxexa ou la q’é ixo “
Mudei de atitude, quando o carteiro me diz que tinha um segredo para me dizer.
Mas que eu tinha que o saber guardar.
Ora, lembram-se de eu dizer que era traquina?...
Qual guardar , qual quê?
-“Vá xaia daí exe xeguedo , pa eu ir contar a toda a xente”
O carteiro deve ter rido mesmo á gargalhada, pois quando a minha Mãe me contou, foi exactamente o que ambas fizemos.
De nada adiantou o carteiro explicar-me o que era um segredo...
Eram palavras ao vento e levadas para bem longe dali...
Contudo eu queria saber o dito...
A bater o pézito, ou os dois não me lembro, estava a adivinhar-se uma birrinha .
Pois ele teimava que era segredo, e eu já naquela idade parecia que não gostava de mentir, pois afirmava que ia contar a toda a gente o meu “xeguedo”!
Ele dizia que eu não podia ...e o que mais engraçado achei, foi esta frase que a minha Mãe me relembrou:
-“Óh, é meu i n’um poxo? Taum num quero exa pocaria pa nada.Pode guadar boxe o xeguedo.”
A minha Mãe concluio-me nos entretantos, que eu não sabia mesmo o que era um segredo...
Mas, há já tanto tempo de volta de tal, que se enterneceram de me estarem ali a “massacrar” mas achavam-me tanta piada( que piada.. ai ai), que não resistiam a fazer-me sempre aquelas brincadeiras ,de cada vez que o carteiro chegava.
Quase a chorar , por não ter “xeguedo”, por não ter a carta do Papá, por não ter nada...
Eis que o carteiro chama a Avó Pardala.
Ela era a minha mais que tudo, pois era com ela que eu passava os dias a aprender a fazer mais , e mais diabruras. ( lá é preciso ser ensinada?)
Entrega-lhe uma caixa...e pede-lhe a modos que eu oiça...que lesse o que ali se encontrava escrito.
-Para a mais bela Princesinha...-e citou o meu nome!!!
Ora, eu não duvidei da palavra da Avó Pardala, pois ela nunca dizia uma “mintila”.
( nunca cheguei a saber se eu sabia o que era uma “mintila”.
E... desato a correr em direcção da “bó”.
Peguei-lhe na mão,e perguntei se tinha sido o Papá a mandar “ aquela coija”
Respondendo afirmativamente, continuando a segurar-lhe a mão, puxei-a ( como se eu tivesse força para tal, mas seja), em direcção a casa.
Ao longe disse:
-Siô cateilo,obigada, eu n’um bou dixê a niênhe o que a pinxexa bai ber...e atirei-lhe um beijo.
A minha Mãe contava que as pessoas haviam ficado emocionadas .
Eu era uma travessa , mas tinha ( agora não tenho) um coração de ouro.
Chegadas a casa, eu não conseguia abrir a dita caixa.
Não era muito grande, nem volumosa tão pouco...
Acabei por pedir ajuda á Avó Pardala.
Ela ajudou( ñ me perguntem com que abriu ela a caixa porque não me lembro)e...
a minha Mãe entra...
Eu olho , e digo:
-Mamã, num enta mais ningueim faxabô ta beim?
A minha Mãe contava que sorriu, e apenas abanou a cabeça afirmativamente...
E eu ali, desesperada para saber o que o Papá queria dizer á “ Pinxexa “
pois claro, a partir daquele momento era uma”Pinxexa”.
Mas nada, não havia forma daquela caixa se abrir de vez!!
Até que...uma outra caixinha...e mais outra... e mais outra...
Já estava a ficar desesperada.
Já estava a ficar farta das caixas.
Chegaram a pensar que eu ia atirar com as caixas sabe-se lá para onde...
Mas... ao invés disso... coloquei as caixinhas por ordem decrescente em tamanho...( rindo)
Mãe e Filha só olhavam a ver a minha reacção, talvez mais curiosas do que eu...
Por fim , depois de uma ou outra tentativa frustrada, lá consegui abrir a 1º.
-Uns xapatos?!... Pa quê qu'eu qu'elo uns xapatos???
Sim eram uns sapatos branquinhos, de verniz( hiper luxo na altura),e dentro de cada um deles vinha a sua respectiva meinha, rendadinha ( o que eu sofria)...
Como eu adorava andar descalça , contava a minha Mãe que a idéia não me agradou nada.
Aberta a 1ª caixinha , passei a uma das outras... a de tamanho a seguir...
Não demorei muito tempo a abrir aquela...
-Uma cateira?...óia , já posso guadar os ratacudos!!!(ratacudos=escudos)
E atirei a “cateira para cima da cama...que era onde eu estava.
Ora bem faltavam duas caixinhas...por sua vez as mais larguinhas , mas também as mais baixinhas.
Uma dela tinha um peso , que para mim, era alguma coisa....mas... lá continuei
E sem esforço algum a 3ª caixinha , abriu-se na perfeição...
-Ahhhhhhhh.....ahhhhhhhhhhh
E fiquei assim algum tempo...a olhar, a olhar...
Na ombreira da porta do meu quarto a minha Mãe assistia a tudo imóvel, segundo Ela , muito emocionada...
A minha Avó , por sua vez...fitava-me ...enternecida por aquele diabrete se derreter todo quando alguma coisinha recebia de seu Papá.
Eu a pequena endiabrada, havia recebido um lindo vestidinho , todo bordado, com uns bonequinhos ,branco e rosa, e que pelos vistos me fascinara...
Contudo algo ñ estava bem
No mesmo instante me fascinou, logo a seguir o atirei para o lado, indo juntar-se
aos sapatos e ás meinhas...
A minha Avó e a minha Mãe encolheram os ombros , pois não haviam entendido aquela subita reacção.
Faltava a última caixinha
Não a abri... era um pouco pesada... peguei-lhe, abracei-a, e não havia maneira de a abrir...
A minha Mãe estava estupefacta, pelos vistos não conseguia perceber lá muito bem...
A custo , lá fui abrindo a “caixinha”...muito devagarinho ,dizia a minha Mãe...
Até que...abri!
Era uma coisa parecida com um “cadeno godo”... ( era um album de fotografias)
Fiquei a olhar para aquilo, dei-lhe uma volta , dei-lhe duas...até que o abri...lá dentro tinha um envelope...em cima da cama , desatei a pular e a rir a bom rir.
Minha Mãe e Avó finalmente compreenderam.
O que eu queria era a cartinha que o meu Pai
sempre enviava para mim,, todas as semanas, sem falhar uma ao longo daqueles anitos( 2) da minha pequena grande existência....da sua distante presença ,e pequena ausência...

terça-feira, 17 de julho de 2007

Naquela noite...

MySpace Comment Codes
Rosy era uma miúda simpática, bem humorada e sobretudo amiga dos seus amigos.
Nessa noite havia saído em grupo como era seu costume ,e foram até um barzito.
As aulas só recomeçariam no dia seguinte á tarde, logo teria tempo de descansar até lá.
A noite estava serena , uma brisa suave e um luar acolhedor.
Pouco passava das 23 quando um amigo de Rosy se lembrou que poderiam ir até uma discoteca.
Rosy não era muito amiga das discotecas, mas acedia quase sempre, pois a companhia era agradável e o seu grupo de amigos bastante simpático.
Quase como que por impulso, Rosy mudou de humor sem se aperceber lá muito bem porquê.
Num ápice sentiu algo estranho em si.
Uma sensação gelada invadiu-lhe o corpo.
A sua amiga Marta apercebeu-se , e abraçou-a.
Marta sabia muito bem a fase que Rosy atravessava naquele momento.Apressou-se a dizer:
-Amiga vá...anda daí.
Rosy não queria de forma alguma estragar a noite, mas parecia já o ter feito.
Tinha completado os seus 18anos há uns meses atrás, mas ainda se sentia uma menina mimada.
Mas não eram mimos, era mesmo uma sensação fria , gelada...
Lembrou-se de uma solução rápida e , recorreu a uma mentirinha , que a não era de todo:
-Meus queridos Amigos , estou com uma enxaqueca fenomenál ,portanto lamento mesmo, mas não posso ir com vocês até ao Lido
Se corria uma brisa suave pela noite... passou a sentir-se um gelo momentãneo,pois todos expressaram uns"Oh's" que se fizeram ecoar, em alto e bom tom.
Dito isto despediu-se e voltou para casa só, pois não queria privar nenhum dos seus Amigos ...e fazer de algum deles seu "táxista"
Afnal era ela que estava mal disposta, e o cúmulo... é que não sabia ... o porquê!!!
A paragem de táxis era mesmo ali ao lado, e Rosy havia entrado no primeiro da fila.
Durante a viagem , longa ainda, observava da janela deste, as ruas desertas, a escuridão infinita,dessas mesmas ruas mal iluminadas e olhava o céu...
Á sua memória , veio a lembrança que a sua Mãe não gostava que ela contasse Estrelas:
-Mi , não faças isso minha querida!!!
Lembrou-se de lhe ter perguntado porquê, e a sua Mãe em tom de brincadeira , mas que parecia falar sério, responder:
-Para quê andares a contar as Estrelas?!...São tantas mas tantas, e tu a apontares...ainda te vão nascer cravos não mãos!
Rosy sorriu e disse a sua Mãe:
-Não faz mal...arranjamos uma jarra e colocamos todos os cravos que me nascerem lá dentro.
Sua Mãe abraçou Rosy,com muito carinho e sorriu-lhe como só ela sabia sorrir.
-Menina...
Rosy deu um salto!
Era o condutor do táxi que a chamava.
Haviam chegado e ela nem se havia apercebido.
Rosy pagou, agradeceu e saiu.
Ao longe pôde ver ainda o táxista afastar-se, pois este tinha esperado que Rosy entrasse na sua residência.
A sua residência nesse momento, era um quarto de hotel, bem na baixa Lisboeta.
Era um quarto simpático, muito colorido e , sobretudo ficava num último andar...mais perto do cèu.
Rosy passava horas a olhar para ele, tanto que sua Mãe lhe dizia que um dia ganharia asas e voaria...Ambas sorriam, pois Rosy apenas gostava de admirar as estrelas, a sua luminosidade,o seu resplendor cintilante.
Conseguia assim uma paz interior, que nem mesmo ela sabia explicar.Certo é que se sentia bem ...
Tão embrenhada estava nos seus pensamentos , que mais uma vez não se apercebeu que o elevador tinha chegado ao piso onde ela deveria sair...
-Upssssss... já cheguei...
Caminhou uns metros e meteu a chave á porta...
O seu companheiro fiel ...Fofinho veio espera-la.
Era uma miniatura de gato que ela fazia questão de ter consigo.Fofinho foi "achado" na rua abandonado, quase recém nascido.
Abandonado , talvez não pela sua mãe, quem sabe por alguém... (chegou Rosy a pensar )...a ver se ela se compadecia dele...
Certo é que resultou.
Rosy pegou naquela miniatura de gatinho, colocou-o a jeito dentro do bolso do seu casaco, sim, pois ele era tão , mas tão pequenino...
e assim Rosy ganhou um novo amiguinho, e o novo amiguinho ganhou o carinho e a ternura de Rosy, para além de ter adquirido um tecto.
Olhou-o ternamente...a saltitar, como que se lhe dissesse que estava feliz com a sua chegada, fazendo rolar a sua bola preferida...a bola verde com a qual Rosy o havia presenteado...Ronronava encostando-se ás pernas dela.
Rosy pegou-o ao colo, mimou-o,ele retribuia , recostando-se e ronronando ainda mais , com um arzito de quem estava feliz.
Mas...nem o seu amiguinho felino conseguiu aliviar o semblante pesado que carregava consigo, embora este se tenha dobrado em mimos e paparicos para ela.
Foi até á janela... sentou-se no parapeito desta e... lá voltou a olhar para o céu.
O sono não chegava ...e a lua ja ia alta.
As zero horas do sino da igreja já se haviam ouvido há muito,e Rosy continuava ali...sentada a observar...mirava as antenas dos televisores espalhadas pela imensidão de telhados,cobertos com telhas das mais variadas formas e cores,que de noite, pareciam todos pintados da mesma, para não falar das que estavam mais longe, e não se avistavam dali.
Sim , era uma boa vista tendo em conta que não se limitava a abrir a janela e dar de caras com o predio frontal,ou com as cortinas rendadas da vizinha ao lado, ou até mesmo com aquele simpático casalinho, que teimava em dormir de janela escancarada.
A noite foi passando...a lua começava a esconder-se para dar lugar aos primeiros raios de sol...
Por sua vez Rosy continuava sentada ... não lhe apetecia sair dali...
-Trimmm
Rosy deu um salto...assustou-se...mas... era só e apenas o telefone.
De um só pulo , saiu do beiral, dirigiu-se onde estava o dito.
-Sim , Bom dia
-Bom dia menina Rosy, tem uma chamada posso passar?
Nem se lembrou de perguntar quem era, talvez o sono, ou talvez nem tivesse grande importãncia , pois só amigos e familiares lhe ligavam para o hotel...logo algum deles seria.
-Sim , sim ...pode passar ...Obrigada, e ,bom dia.
Esperou uns minutos, talvez nem tanto...
Do outro lado ouviu uma voz conhecida...voz que ela conhecia tão, mas tão bem...
O sangue gelou...o coração disparou na ansiedade...
Estremeceu...ainda a tempo de ouvir:
-Mana...recebi agora mesmo um telegrama...a mais Bela Estrela do mundo ... ontem por volta das 23.15...
subiu aos céus ...

sábado, 14 de julho de 2007

14/07/1969

Sem palavras...Agradeço
Obrigado
Sentido
Neste dia
Um beijo
:O)

sexta-feira, 13 de julho de 2007

Obrigado...

e da Casinha da Menina Simples ,

Obrigado:o)


Meu Blog Fala de Amor...Cartão da Amizade...Blog com tomates...
Em tempos emotivos
Eis que as emoções ficam ao Rubro
Dizer-vos o quê?
Não há palavras que exprimam os meus sentires
A Amizade é bela, sem ela não sei viver
Os tomates?Esses são uma outra história :o))
falar de Amor...Maravilha , principalmente quando com as Estrelas se fala:o)
Um sorriso ,
Um abraço carinhoso e um beijo agradecido
E Amigos:
A vós...
Para vós ..
De Mi...
Bem Hajam por Existirem
:o)




quarta-feira, 11 de julho de 2007

A um Anjo...


Há uma estrela no Céu
Que há uns anos vida ganhou
Um Anjo da terra saiu,
E assim muita gente querida , deixou...
Hoje e sempre, O lembro com saudades
Olhei o céu em sua busca...
-Ah...está aí!!!...Olá boa noite!!!
Não me responde , nada me diz
Apenas brilha, brilha e brilha...
Como sempre , em toda a sua vida...
Ti'Abilio, meu Querido Sogro
Meu Pai segundo, em algumas alturas o Primeiro
Avô dos meus fihos,netos saudosos de Si
Um beijo eterno, saudoso a sorrir...
Com imensa dor...pela sua partida
Juntos ,todos iremos ficar um dia
Nesse novo mundo que ainda está por vir...
E assim ...
todos de mãos dadas
Sorrir
**

Momentus de Excelência...



Considerarem este meu Cantinho um "Momentu's de Excelência" é para mim uma grande Honra

Sem palavras para agradecer, sem saber o que dizer , e tendo eu que agraciar os meus Momentu's de Excelência passarei a retribuir e a partilhar esses mesmos Momentu's Excelêntes

Com
A minha Querida Amiga que me agraciou com tão Excelênte mimo
e o meu querido Amigo
Assim como com alguém que é não menos Excelente e que com as suas mãos fazem
Maravilhas Excelêntes são elas ...
Ainda pelas suas palavras, pela sua escrita e por ficar Maravilhada com ela ( a escrita),
Um beijinho enorme de Mi ... para vocês :o)
Obrigada:o)